Foto: Pixabay

A partir de sábado, 8 de dezembro, os celulares “piratas” do Paraná e de outros nove estados vão ser bloqueados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Os proprietários não vão mais poder mais fazer ligações com o aparelho.

Além do Paraná, o bloqueio ocorre no Acre, no Espírito Santo, em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, em Rondônia, Santa Catarina e no Tocantins.

Para saber se o telefone é “pirata”, o usuário deve discar *#06# e comparar se os 15 algarismos do IMEI que aparecem são os mesmos do adesivo colado no aparelho. O IMEI é o a identificação do aparelho. Se os números não forem os mesmos, o telefone pode ser ilegal, clonado, adulterado ou roubado.

A consulta também pode ser feita no site da Anatel.

De acordo com a Agência, o bloqueio é para combater o uso de aparelhos falsificados ou com IMEI adulterado, clonado ou outras formas de fraude. A medida também busca inibir a comercialização de aparelhos móveis não homologados no país.

Lucas dos Anjos trabalha em uma empresa que presta assistência técnica de aparelhos celulares. De acordo com ele, os “piratas” geralmente são bem mais baratos do que os convencionais.

Mas nem todo aparelho celular comprado fora do país é pirata.

Segundo a Anatel, desde 23 de setembro os usuários de celulares irregulares têm recebido uma mensagem que alerta para a mudança. Um segundo alerta foi enviado 50 dias antes do bloqueio e um terceiro, 25 dias antes.

Na véspera do bloqueio, o usuário receberá a mensagem: “Operadora avisa: Este celular IMEI XXX é irregular e deixará de funcionar nas redes celulares”. Todas as mensagens de alerta são enviadas pelo número 2828.

Repórter Lucian Pichetti