Foto: André Richter - Agência Brasil/EBC

Duas brasileiras e um egípcio foram presos pela polícia federal em Curitiba. O grupo tentava simular um casamento para regularizar a situação do imigrante no país.

A Polícia Federal descobriu a armação quando o trio apresentou, no setor de imigração, diversos documentos para regularizar a permanência do egípcio no país.

A investigação policial constou a falsidade do casamento.

Uma das mulheres presas é brasileira e a verdadeira companheira do imigrante. Como ela é pensionista, pediu para a amiga simular a união.

Caso a união fosse verdadeira, o egípcio iria conseguir o registro de permanência no país por casamento com brasileira.

As duas brasileiras e o imigrante foram presos e vão responder pelos crimes de falsidade ideológica e uso de documentos falsificados.

Se condenados, as penas podem chegar a cinco anos de prisão.