Foto: Rodrigo Fonseca/CMC
Terrazza Panorâmico

Está aberta no site da Câmara Municipal uma consulta pública sobre a lei de zoneamento de Curitiba.

Ao participar, os cidadãos opinam sobre nove pontos relacionados à nova regra e podem deixar uma sugestão à proposta de revisão a ser votada nos próximos meses pelos vereadores.

Para dar sua opinião, o interessado precisa se identificar em um formulário disponibilizado na página do legislativo, que inclui nome, RG, CPF e bairro de residência. Entidades e empresas também podem participar, bastando para isso informar o CNPJ no momento da identificação.

Na página estão colocadas nove perguntas de resposta sim/não, para saber se aquele cidadão concorda ou discorda das principais diretrizes que orientam a nova lei, conforme destaca o vereador Paulo Rink, presidente da comissão de Economia e Finanças, que analisa atualmente a proposta.

Dentre as perguntas colocadas na consulta então pontos como o resgate do uso residencial do centro da cidade, o reforço da ocupação comercial e de serviços às margens da canaleta do biarticulado, nos trechos entre os bairros Cabral e Santa Cândida e entre o Pinheirinho e o Portão; e também o desestímulo ao uso frequente do automóvel como estratégia para fortalecer e baratear o transporte coletivo.

No último campo do formulário, é possível deixar uma sugestão adicional à proposta de revisão da lei de zoneamento, considerada prioritária pelo morador.

A proposta de revisão da lei de zoneamento e uso do solo já passou pela análise da Comissão de Constituição e Justiça e também debatida em outros colegiados: atualmente está no de Economia e ainda segue para o grupo de  Urbanismo antes de ser votado em plenário. A expectativa da liderança do prefeito na Câmara é conseguir que a votação seja realizada ainda no primeiro semestre, objetivo ousado na avaliação de Paulo Rink.

Para responder à consulta pública basta acessar o portal cmc.pr.gov.br e clicar no banner que se encontra já no topo da página. O formulário estará no ar pelos próximos trinta dias.

Repórter Cristina Seciuk