Foto: Venilton Küchler/AENPr

As ações começaram no dia 10 de abril e oficialmente seriam encerradas nesta sexta-feira.

Mas como o índice de vacinação no país está abaixo do esperado, o Ministério da Saúde decidiu prorrogar a campanha até o dia 15 de junho.  

A meta é imunizar 90% dos grupos formados por crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos; gestantes; puérperas; idosos, povos indígenas, professores, trabalhadores da saúde, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população privada de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 20 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e policiais civis e militares.

A Médica infectologista da Secretaria Municipal da Saúde, Marion Burger, disse que aqueles que têm direito à vacinação gratuita devem correr por causas dos riscos de complicações mais sérias. Os grupos que mais preocupam são os formados pelos idosos, crianças e doentes crônicos, como diabéticos.   

Segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde na semana passada, 69,19% do público-alvo tinha sido imunizado.

Mesmo assim, os casos da doença seguiram em alta, com 109 confirmações. Já foram pelo menos 31 mortes por causa da doença. As mortes foram registradas pelas Regionais de Saúde de Paranaguá, Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Toledo e Curitiba.

Repórter Fábio Buchmann