Wilson Aparício, coordenador da Defesa Civil e responsável pelo Programa Cidade Resiliente, em Campo Largo. Foto: AEN

Quatro anos depois de ser atingido por uma chuva de granizo que trouxe grandes prejuízos, o município de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, se prepara para ser referência no Brasil da Campanha Mundial Construindo Cidades Resilientes, da Organização das Nações Unidas. A ideia é ter uma cidade preparada para se prevenir de desastres e se recuperar de forma eficiente de possíveis catástrofes.

Seis cidades brasileiras foram selecionadas para se tornarem referência da campanha, e Campo Largo é a única na Região Sul. Para atingir esse status, o município recebe orientação do Ceped, o Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres, órgão da Defesa Civil Estadual.

O diretor do Ceped, major Eduardo Gomes Pinheiro, afirma que a ação estimula os municípios a trabalharem na prevenção.

Um grupo de trabalho foi formado em Campo Largo, com a participação do Ceped e das 11 secretarias municipais, para mapear as vulnerabilidades e planejar as ações locais. O coordenador municipal de Defesa Civil, Wilson Batocchio Aparício, afirmou que este é um trabalho de caráter permanente.

Incluir a resiliência no Plano Diretor do município e executar obras já preparadas para enfrentar possíveis desastres também são ações previstas pela prefeitura. Como parte das ações, o Ceped também vai realizar oficinas e palestras para aprofundar e colocar o tema em prática. A ideia é replicar a experiência de Campo Largo em outras cidades paranaenses.

Repórter Lucian Pichetti com informações da Agência Estadual de Notícias

Deixe uma mensagem