Foto: Francielly Azevedo

Cristiana Brittes e Allana Brittes – esposa e filha de Edison Brittes Junior, assassino confesso do jogador Daniel Corrêia Freitas – foram as primeiras transferidas. Elas deixaram a Delegacia de São José dos Pinhais, por volta das 13h30 desta quinta-feira (8), e foram para o presídio feminino da Penitenciária de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, já que a carceragem do 5º Distrito Policial, onde elas deveriam aguardar o progresso das investigações está sem vagas. Ambas foram colocadas em uma ala chamada “seguro”, que é um local separado das demais detentas.

No meio da tarde, Edison Brittes Junior também foi transferido. Ele passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal de Curitiba e foi encaminhado para o Centro de Triagem 2 (CT2), também em Piraquara.

Além disso, dois dos investigados que tiveram a prisão decretada na última quarta-feira, apresentaram-se a polícia nesta quinta em São José dos Pinhais. Eles foram transferidos para o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil.

Os dois, assim como um terceiro envolvido que foi preso em Foz do Iguaçu, levaram juntamente com Edison Brittes, Daniel da casa da família Brittes até a Colônia Mergulhão, onde o corpo foi encontrado.

Segundo os advogados dos dois jovens, eles entraram no carro porque foram coagidos e ameaçados.

Ainda nesta quinta-feira (8), a família do jogador Daniel esteve na Delegacia de São José dos Pinhais.

Repórter Francielly Azevedo