De acordo o último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) sobre a dengue, o número de notificações de suspeita da doença cresceu de 6.528 para 7.281. O levantamento é feito desde agosto do ano passado.

Os casos autóctones confirmados, que são aqueles contraídos no próprio município, passaram de 135 para 155. As notificações aconteceram em 253 dos 399 municípios do Paraná. Quinze deles são considerados de alto risco. Nessa lista, apenas Uraí é considerada em situação de epidemia. Os municípios com maior número de casos suspeitos notificados são Londrina (1.600), Foz do Iguaçu (852) e Paranaguá (445). Já o índice de casos confirmados é maior nos municípios de Uraí (36), Foz do Iguaçu (28) e Londrina (22).

O Laboratório de Climatologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) alerta que, neste momento, as condições climáticas são favoráveis ao desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti. A tendência da curva de proliferação é diminuir apenas com a entrada do outono.

A Secretaria da Saúde reforça o pedido para que as pessoas eliminem todo tipo de criadouros como água parada em vasos de plantas, garrafas, lixo e bebedouros de animais, entre outros, onde as larvas do mosquito se criam. A dica é manter uma rotina de limpeza semanal na residência, para eliminar qualquer tipo de lixo acumulador de focos da dengue.

Os sintomas da dengue são febre acompanhada de dor de cabeça, dor articular, dor muscular e dor atrás dos olhos ou mal-estar geral.

Repórter Francielly Azevedo