Foto: APP Sindicato / arquivo

Trabalhadores ligados a sete centrais sindicais prometem fazer uma greve geral amanhã (10). O ato tem o objetivo de protestar contra a Reforma Trabalhista, que entra em vigor no dia 11 e também contra as outras reformas propostas pelo governo do presidente Michel Temer. Em Curitiba, algumas categorias já confirmaram presença na manifestação, como a dos metalúrgicos. Os trabalhadores das maiores empresas do setor em Curitiba e Região Metropolitana vão se mobilizar em porta de fábrica, de acordo com o Sindicato. Ele também participam do ato conjunto, na Boca Maldita, às 11 horas.

O secretário de imprensa e comunicação do Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, Genésio Cardoso, disse que a categoria vai aderir a manifestação.

De acordo com Genésio, as agências devem abrir, mas isso não está garantido.

Os técnicos administrativos da UFPR, UTFPR e os colaboradores do Hospital de Clínicas (HC) também afirmaram que vão parar as atividades amanhã. De acordo com o sindicato responsável pela categoria (Sinditest-PR), apenas 30% dos funcionários vão continuar ativos para atender a lei.

A APP-Sindicato, responsável pelos trabalhadores da educação pública, iniciou a convocação dos professores de maneira voluntária. Segundo a entidade o funcionamento das instituições de ensino pode ser afetado. Vai depender do número de educadores que aderir a paralisação.

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) garantiu que os coletivos vão circular normalmente amanhã. Segundo o Sindimoc, apenas os trabalhadores que estiverem de folga ou em horário de almoço devem participar do ato.

O protesto ocorre em várias cidades do Brasil, é organizado pelas sete principais centrais sindicais do Brasil (CSB, CSP-Conlutas, CTB, CUT, Força Paraná, NCST e UGT).

Repórter Lucian Pichetti

Deixe seu comentário