Foto: Vanessa Fernandes

As centrais sindicais vão exigir, durante a celebração do Dia do Trabalho, a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além da volta de direitos trabalhistas, alterados com a última Reforma Trabalhista.

A programação tem início às 14h (de Brasília), na Praça Santos Andrade, no Centro da capital. Segundo o movimento, o local é conhecido como “Praça da Democracia”. Devem estar presentes, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, o senador Lindbergh Farias e o deputado federal Paulo Pimenta. Além disso, representantes de entidades sindicais da Argentina, Paraguai e Uruguai participam de um ato político às 16h.

Segundo a organização, embora o 1º de Maio esteja centralizado na capital paranaense, haverá manifestações espalhadas em todos os estados do país, exceto Santa Catarina, que decidiu levar caravanas a Curitiba. Também devem desembarcar na capital paranaense, caravanas de Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

O evento reúne pela primeira vez a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e CONLUTAS.

Repórter Francielly Azevedo