Foto: Angelo Sfair

Várias Centrais Sindicais organizam os últimos detalhes para a greve geral prevista para esta sexta feira, dia 28. A previsão é de que esta seja a maior mobilização já registrada no país contra as reformas trabalhista e da previdência propostas pelo Governo de Michel Temer.

Toda essa expectativa de adesão é porque, desta vez, as centrais sindicais se uniram para concentrar os protestos. Participam da coordenação do ato sindicatos e entidades ligadas à Força Sindical, à Central Única dos Trabalhadores (CUT-PR), à União Geral dos Trabalhadores (UGT), à Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e à Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas).

Como que funciona: os sindicatos que representam as categorias de trabalhadores, desde o início do mês, organizam assembléias para definir se vão aderir à greve, e como isso vai acontecer.

Já está previsto um grande ato onde todas as centrais sindicais devem se reunir, às 9h desta sexta, no Centro Cívico, em frente à Assembleia Legislativa do Paraná. Mas ao longo de todo o dia, as categorias devem realizar protestos nos locais de trabalho, nas empresas de que fazem parte, por exemplo.

Todos esses atos ainda estão sendo organizados, assim como a adesão de cada categoria à greve geral. Assim que os trabalhadores definirem como vão ser as paralisações você confere as atualizações na programação da CBN Curitiba.

Repórter: Ana Krüger.

Deixe uma mensagem