Foto: Francielly Azevedo

A chuva que caiu sem dó em Curitiba na tarde desta quinta-feira (21) alagou diversas ruas da capital. Na região central, veículos que passavam pela Visconde de Nacar, no cruzamento com a Cruz Machado, tiveram quase todo o rodado encoberto pela água acumulada.

As bocas de lobo também não deram conta do volume da chuva em outros bairros, com registro de alagamentos no Rebouças, Alto da XV, Tarumã, Cristo Rei conforme relatos de ouvintes à CBN Curitiba.

De acordo com a prefeitura, houve pontos de acumulo de água também no Boqueirão, Pinheirinho, Portão, Jardim Botânico, Parolin, Xaxim Jardim Social e em outros pontos do Centro. Muitos veículos ficaram debaixo d’água.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Curitiba, Nelson Ribeiro, das 15h às 17h choveu 118,4 milímetros na capital.

Segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), isso é quase 80% do total esperado para todo o mês de fevereiro. A média histórica da cidade, considerando os dados da estação local, é de 147,4 mm.

A chuva veio acompanhada de rajadas de ventos de 61,2 km/h.

Ainda segundo a Defesa Civil, aproximadamente 200 pessoas foram afetadas pela chuva. Ninguém se feriu.

Algumas pessoas tiveram que deixar a casa e um abrigo da prefeitura foi inundado.

Por conta dos alagamentos e demais transtornos causados pela chuva, o trânsito parou.

Segundo a prefeitura houve ao menos três quedas de árvore. Na Avenida Iguaçu, próximo a Cândido Xavier, uma árvore enorme caiu sobre cinco carros que passavam pela via. Os outros casos foram nas ruas Francisco Rocha e Martins Fontes, no Fazendinha.

PUC

A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), no bairro Prado Velho, cancelou as aulas desta quinta e sexta-feira (22) pela manhã, após as fortes chuvas que caíram em Curitiba e Região.

O auditório da universidade, onde seria realizada uma formatura de psicologia, ficou completamente alagado.

Hospital Universitário

Além da PUC-PR, o Hospital Universitário Cajuru, no Cristo Rei, também foi atingido pela chuva. Segundo a assessoria, o Hospital teve algumas áreas afetadas pela tempestade. A situação foi rapidamente controlada pelas equipes de assistência e não houve qualquer dano a nenhum dos pacientes internados.

Emergências

Quem foi prejudicado pela chuva e precisa de atendimento emergencial pode acionar a Defesa Civil pelo telefone 199, ou então pelo 156 da prefeitura e 153 da Guarda Municipal.

Repórter Lucian Pichetti