Foto: EBC

Pergunta interessante: professor, eu tenho aplicado em títulos públicos no Tesouro Direto através da corretora do meu banco. Esse é um bom investimento para a aposentadoria?

Olha, é um bom investimento, sim, mas não para a aposentadoria. Eu diria que é um bom investimento principalmente para o curto e o médio prazo, mas para o longo prazo tem coisa melhor.

Vamos lá. Quando aplicamos no Tesouro Direto, aplicamos em juros.

O Brasil viveu épocas de juros estratosféricos e era muito vantajoso ganhar sem tomar riscos adicionais.

Ocorre que, há algum tempo, os juros estão em patamares baixos, felizmente, e isso é um limitador para ganhos maiores. Exemplo: as NTNB’s são títulos que rendem a inflação mais uma taxa de juros. Há dois anos, essa taxa estava em 6,5%, 7% e despencou para 4%.

Outro título, a LFT- Letra Financeira do Tesouro- que reflete a taxa básica de juros da economia, que já foi de 14,5%, hoje está em 6,5%.

Mais uma razão para também ir atrás de outros investimentos: diversificação.

Por fim, um argumento irrefutável: imposto de renda. O governo para incentivar o investimento no longo prazo, permite que quem aplica em previdência privada abata do IR as contribuições até 12% da renda anual e, quando, os investimentos são feitos não tem o come cotas, aquele imposto que a cada seis meses descontam dos Fundos de Investimentos.

Mais uma vantagem da previdência privada: imposto de só 10% na hora de receber o dinheiro, se ele ficar aplicado por mais de 10 anos.