Foto: Pixabay

Deus nos dá a vida e nossa força vital como um patrimônio inicial, um capital a ser administrado sem data para acabar, embora todos saibamos que um dia vai findar.

Quando jovens, com muita vitalidade, é como se os juros desse capital investido cobrissem todas as nossas despesas, a energia consumida, e ainda sobrasse um pouco para aumentar o montante inicial.

Com o passar do tempo, ao redor dos 40 anos, os juros cobrem as despesas, mas nada além disso, e o capital se estabiliza. Aos 50 anos só os juros já não são suficientes para cobrir as despesas e elas começam a consumir o capital, nosso patrimônio inicial. No começo pouco, depois dos 70 anos muito, até que as despesas acabam por levar todo o capital que restou. Aí chegamos ao fim, à morte, sem mais nenhuma energia.

O segredo da vida está, pois, em fazer durar mais este capital inicial, chamado força vital.

De que forma? Tendo uma vida equilibrada, onde tudo é permitido, desde que com moderação. Comida, bebida, prazeres, paixões, sedentarismo, profissões mal escolhidas, missões, são as despesas nessa contabilidade da vida. Saiba administrá-las, para viver mais tempo, pois os excessos cobram a sua conta.

Agora, mesmo vivendo de forma equilibrada, viva intensamente cada dia como se fosse o último…pois um dia vai ser mesmo.