Com parques fechados, animais silvestres reaparecem

Com parques fechados, animais silvestres reaparecem
Foto: PMC

A equipe de manutenção do Jardim Botânico, o principal ponto turístico de Curitiba, tem registrado nos últimos dias a presença de maior número e espécies de animais silvestres no local. O parque está fechado desde o final de março, como medida de prevenção à pandemia do coronavírus.

Entre os animais que estão aparecendo com mais frequência no parque estão diversas espécies de aves e borboletas. Também foram avistados um pica-pau-do-campo, pica-pau-branco, pica-pau-anão, além de mais corujas, saracuras, gambás, cutias, famílias inteiras de preás e espécies raras de gaviões. Todos os registros estão em um banco de dados que vem sendo abastecido, em especial pelos biólogos Tadeu Motta e Maristela Zamoner.

As equipes de manutenção têm encontrado restos de alimentos nas cercas próximas ao Bosque do Jardim Botânico, o que pode indicar que as pessoas estejam tentando alimentar os animais silvestres, mas os especialistas alteram que não é indicado alimentar animais silvestres, uma vez que eles encontram alimentação na própria natureza.

Além do Jardim Botânico, outras unidades de conservação de Curitiba também têm registrado maior número de animais silvestres devido à redução no movimento de pessoas. No Parque Barigui, por exemplo, foi registrada, no início de maio, a desova de um cágado-rajado na área das quadras de vôlei.