Foto: arquivo / EBC

Morreu neste sábado (14) Juarez Ferreira Pinto, sentenciado a 65 anos de prisão pelo crime que ficou conhecido como “caso do Morro do Boi”. A informação sobre a morte foi divulgada pelo escritório de Claudio Dalledone Júnior, advogado do preso.

Conforme nota da defesa, Juarez Ferreira Pinto morreu no Complexo Médico Penal, em Pinhais, onde cumpria pena desde que o benefício da prisão domiciliar foi revogado, a pedido do Ministério Público, no ano passado.

Condenado por latrocínio e atentado violento ao pudor em 2010, Ferreira Pinto passou a cumprir pena em casa em dezembro 2014 por causa da saúde altamente debilitada. Ele era portador do vírus HIV e tinha ainda hepatite B e cirrose. Para a defesa, o Complexo Médico Penal não tinha a estrutura necessária para custodiar um preso em tão grave estado de saúde.

Procurada pela CBN Curitiba, a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná não deu detalhes ou confirmou a informação sobre a morte do preso.

Juarez Ferreira Pinto foi condenado pela morte de Osíris Del Corso, de 22 anos, e por ter baleado e violentado Monik Pegorari (à época com 23 anos). O caso ocorreu em 31 de janeiro de 2009 na região do Morro do Boi, em Matinhos, litoral do estado. O relato dado por Monik é de que Juarez Ferreira Pinto abordou o casal na trilha que dava acesso à Praia do Amores. Osíris foi baleado ao tentar defender a namorada de uma tentativa de estupro e não resistiu. Monik levou um tiro nas costas e ficou paraplégica. As vítimas só foram localizadas no dia seguinte aos crimes.

Deixe uma mensagem