Acervo: Santos FC.

Em 1958, a Seleção Brasileira ganhou a Copa do Mundo, na Suécia, com três jogadores do Santos: Zito, Pepe e Pelé. Enquanto o mundo conhecia Pelé, aquele que se tornaria o maior parceiro das tabelas do Rei do Futebol iniciava carreira: Coutinho, que morreu nesta segunda-feira (11), aos 75 anos, em Santos. O atacante marcou 359 gols pelo alvinegro. Os primeiros gols foram parte de uma excursão que incluiu três cidades paranaenses: Ponta Grossa, Cornélio Procópio e Londrina.

Coutinho tinha apenas 14 anos quando viajou com o Santos, em maio de 1958. A estreia e o primeiro gol do lendário camisa 9 no time principal aconteceram na goleada contra o Sírio Libanês, por 7 a 1, em Goiânia. Mais dois gols vieram no 5 a 2 sobre o Guarani, em Ponta Grossa. Na mesma cidade, Coutinho também atuou na vitória de 2 a 0 sobre o Operário Ferroviário. Desta vez, sem gol.

No dia 11 de junho de 1958, Coutinho completou 15 anos. Na semana seguinte, o jovem atacante voltou a marcar gols no interior paranaense: um em cima do Comercial de Cornélio Procópio, batido por 4 a 2, e outro no 2 a 1 diante do Londrina.

Quase vinte anos depois, o parceiro de Pelé retornou à Cornélio Procópio para ser técnico do Nove de Julho no Campeonato Paranaense de 1977. Com o ídolo santista à beira do gramado, o Nove escapou do rebaixamento para a segunda divisão.

(Ayrton Baptista Junior)

Na Rede CBN, mais sobre Coutinho, três vezes campeão mundial, duas com o Santos (1962/1963) e uma com a Seleção Brasileira (1963).