Covid-19: números disparam no PR mesmo com quarentena

Covid-19: números disparam no PR mesmo com quarentena
Foto: Pexels

Nas últimas duas semanas, o número de casos confirmados e óbitos por conta do novo coronavírus disparou no Paraná. Do dia 1º de julho até esta segunda-feira (13), foram registrados 18.302 casos confirmados e 336 mortes, segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), considerando a data de confirmação do diagnóstico e de óbitos.

No caso das confirmações, o número representa 42% do total de registros da Sesa desde o início da pandemia, em março. Já as mortes representam 31% do total.

Os dados apresentados nesse período coincidem com o início do decreto do Governo do Paraná imposto para oito Regionais de Saúde que englobam 141 municípios.

Até esta segunda-feira (13), o estado contabilizou 43.095 casos confirmados e 1.072 óbitos.

Considerando apenas as Regionais de Saúde atingidas pelo decreto estadual, que determinou a ‘quarentena restritiva’ o número de casos aumentou em todas, mas com dados mais alarmantes em duas. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, a quarentena foi determinada nas regiões que apresentavam evolução no número dos casos e tem o objetivo de reduzir a transmissão de casos de Covid-19 em 141 cidades do estado.

Na Regional de Saúde de Paranaguá, até o dia 30 de junho, antes do decreto estadual, eram 539 casos, enquanto, nesta segunda-feira, o número saltou para 1.512. O número de mortes também passou de 10 para 32.

Na Regional de Saúde Metropolitana, que conta com Curitiba e municípios da Região Metropolitana, o aumento foi de 227% nas confirmações. Passando de 7.428 até o dia 30 de junho, para 16.904 nesta segunda-feira. O número de mortes passou de 251 para 473.

Fazem parte do decreto estadual ainda as regionais de saúde de Cascavel, Foz do Iguaçu, Cornélio Procópio, Cianorte, Toledo e Londrina.

O decreto do Governo do Paraná é válido até esta terça-feira (14), mas pode ser prorrogado por mais sete dias. O anúncio deve ser feito no período da tarde, durante a divulgação do boletim epidemiológico diário.

Repórter William Bittar