Foto: Pixabay
Terrazza Panorâmico

A partir desta quinta-feira (22), todas as crianças de seis meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo em todo o país. Essa medida preventiva deve alcançar 1,4 milhão de crianças, que não receberam a dose extra, chamada de ‘dose zero’, além das previstas no Calendário Nacional de Vacinação, aos 12 e 15 meses.

No Paraná, dois casos foram confirmados e estão em monitoramento pela Sesa. Um deles é de uma moradora de Campina Grande do Sul e o segundo caso foi confirmado nesta terça-feira (20), um homem de 54 anos morador de Curitiba. Ambos passaram por São Paulo, onde foram registrados 1.662 casos de sarampo.

Além dos dois casos confirmados, a Sesa tem registro de mais 16 casos até esta quarta-feira (21). Todas estas pessoas estão em monitoramento e investigação para confirmar ou descartar a doença. As ações de bloqueio vacinal seletivo também foram realizadas.

A vacina contra o sarampo é gratuita e faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. A dose zero deve ser aplicada em crianças entre seis e onze meses. A dose número 1 aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral (que previne sarampo, caxumba e rubéola), e a dose 2 aos 15 meses com a vacina tetra viral (que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora).

A população com até 29 anos deve receber duas doses da vacina. E para as pessoas que estão no grupo com idade entre 30 e 49 anos bastam ter o registro de uma dose que são consideradas vacinadas. Acima dos 50 anos, a vacina é indicada apenas nos casos de bloqueio vacinal após a exposição com casos de suspeita da doença ou confirmados.

Pessoas imunodeprimidas, mulheres grávidas e menores de seis meses de idade não devem tomar a vacina. Profissionais da área da saúde devem ser vacinados, independentemente da idade.

No Paraná todas as Unidades Básicas de Saúde têm doses da vacina contra o sarampo.

Para receber a vacina é preciso ir até uma destas unidades levando um documento com foto e a carteira de vacinação (caso tenha).

Em Curitiba, as 110 unidades básicas de saúde possuem doses para vacinação.

Repórter William Bittar