Foto: Divulgação/CRM-PR

O Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) promoveu um ato de indicativo de interdição ética no Hospital e Maternidade Victor Ferreira do Amaral, que fica no bairro Água Verde, em Curitiba. A medida foi divulgada nesta terça-feira (12) e tomada após uma vistoria no local, realizada a partir de denúncias do corpo clínico da maternidade. Elas foram encaminhadas ao CRM-PR no segundo semestre de 2017.

De acordo com o conselho, a vistoria do Departamento de Fiscalização do Exercício Profissional detectou uma série de problemas, como a falta de profissionais para suprir escalas de trabalho, médicos sendo alocados para responder por serviços distintos e simultâneos e inexistência de neonatologia para prestar cuidados de modo contínuo. O neonatologista é o médico que acompanha o bebê nos primeiros momentos de vida. Não foram detectados problemas estruturais, segundo o CRM-PR.

Para o conselho, as irregularidades encontradas no Hospital e Maternidade Victor Ferreira do Amaral comprometem o trabalho dos médicos e demais profissionais, colocando em risco a vida dos pacientes.

Foi concedido um prazo de 90 dias para que sejam sanados os problemas identificados na fiscalização. De acordo com o CRM-PR, após este período, a instituição pode ser efetivamente interditada se não tiver adotado as medidas necessárias para que os atendimentos sejam prestados com efetiva segurança.

A Maternidade Victor Ferreira do Amaral foi a primeira do gênero no Paraná, fundada em 1913, fechada em 1991 e depois reaberta em 2001. Ela integra o Complexo Hospital de Clínicas, da Universidade Federal do Paraná. Por meio de nota, a administração informou que a maternidade “continua realizando todos os atendimentos normalmente e de forma segura”, sendo que providências cabíveis estão sendo tomadas visando atender os apontamentos do CRM-PR. O Complexo Hospital de Clínicas ainda ressaltou que a maternidade é referência na assistência às gestantes em Curitiba, com a realização de 2,8 mil partos por ano.

Repórter Joyce Carvalho

Deixe seu comentário