Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Terrazza Panorâmico

O juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou prazo de oito dias para que as defesas de Lula e outros seis condenados se manifestem no caso do sítio de Atibaia e o processo seja encaminhado para julgamento pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), responsável pelos casos da Lava Jato em segunda instância.

A medida foi tomada um dia após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reduzir a pena do ex-presidente Lula, no caso do tríplex do Guarujá, de 12 anos e 1 mês para 8 anos, 10 meses e 20 dias de prisão. A medida abre a possibilidade de a defesa do ex-presidente solicitar regime semiaberto ou prisão domiciliar a partir de setembro.

No caso do sítio de Atibaia, Lula foi condenado por obras feitas no local em fevereiro de 2018. O processo estava em fase de apelação, ainda na primeira instância. A defesa do ex-presidente decidiu apresentar apelação à sentença, de 12 anos e um mês de prisão, diretamente ao TRF-4.

Caso o ex-presidente seja condenado pelo TRF-4, no caso do sítio, impedirá que ele deixe a prisão em setembro ou outubro para cumprir o restante da pena em prisão domiciliar ou regime semiaberto.

Repórter Vanessa Fernandes