Foto: Jaelson Lucas / ANPr

A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil do Paraná prendeu nos primeiros quatro meses do ano 147 pessoas envolvidas no tráfico de drogas. Também foram recuperados 71 veículos e 46 armas de uso restrito, além de cerca de 23 toneladas de maconha, 5 toneladas de cocaína, mais de 200 quilos de crack e quantidades expressivas de haxixe, LSD, ecstasy e sintéticos.

Além disso, os dados da Secretaria de Segurança Pública apontam crescimento de 47,6% na apreensão de ecstasy e 29,9% na de crack em relação aos primeiros meses do ano passado.

Conforme o delegado Ítalo Biancardi Neto, responsável pelos oito núcleos estaduais da Denarc, os números são resultados da estratégia da Denarc, incentivada pela Secretaria de Segurança Pública, que faz a integração das forças das polícias civil e militar para ajudar a conter o abuso do uso de drogas e a oferta nas ruas.

Conforme Biscardi, mais de 90% dos crimes de homicídio estão vinculados ao narcotráfico direta ou indiretamente, o que amplia a necessidade de combater esse tipo de crime. No Paraná, são cerca de dois mil assassinatos por ano.

Neste ano, de janeiro a março foram registrados 381 homicídios dolosos, contra 558 no mesmo período de 2018. A redução chegou a 32%. Os números são do relatório estatístico da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária.

Para o delegado, o trabalho integrado das policias ajuda nas investigações. Ele usa como exemplo a prisão de um integrante de uma organização criminosa em fevereiro deste ano. 

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Silvio Rochemback, o tráfico de drogas na fronteira dificulta a ação policial.

Para reforçar o combate as drogas, durante todo o mês acontece o programa “Junho Paraná sem Drogas” com campanhas e atividades educativas.

Repórter Francielly Azevedo