Foto: Nani Gois/Alep

A sessão desta quarta-feira foi recheada de polêmicas na Alep. Na pauta de votações estava a PEC de autoria do governo do estado, que extingue a aposentadoria vitalícia para Ratinho Jr. e futuros governadores paranaenses.

Além do texto original, os deputados também analisaram uma emenda de autoria do deputado Homero Marchese, do PROS, que estendia o corte do benefício para ex-governadores ou as viúvas daqueles que já ocuparam o cargo.

As duas proposições tramitavam em regime de urgência. A PEC do governo estadual foi aprovada por 44 votos dos 45 parlamentares que acompanharam a sessão. Com isso, Ratinho Jr e os próximos governadores paranaenses não terão mais aposentadoria pelo resto da vida a partir de agora.  

Em seguida a emenda de Homero Marchese foi analisada. Diversos deputados usaram a tribuna para discursar sobre o tema. Depois de quase uma hora de discussões, a emenda acabou rejeitada. O autor da proposta lamentou o resultado. Homero Marchese inclusive falou sobre os 6 deputados que se ausentaram.

No primeiro mandato, Homero Marchese classificou o resultado como uma espécie de afronta ao clamor popular pelo fim de privilégios na política.

Já o deputado Elio Rusch, do DEM, votou pela manutenção do benefício. Segundo ele, caso fosse aceita, a emenda prejudicaria todos os servidores do legislativo, não só os deputados.

Já Evandro Araújo, do PSC, foi outro que lamentou o resultado da votação da emenda. Um verdadeiro retrocesso de acordo com ele.

Repórter Fábio Buchmann