Foto: Laycer Tomaz / Câmara dos Deputados
Terrazza Panorâmico

Os ânimos ainda não arrefeceram após o resultado das eleições. O pleito de 2018 foi marcado pela polarização explícita, extrema, entre direita e esquerda.

O resultado foi um país dividido nas urnas e pelas previsões, a polarização vai se repetir também no congresso. A CBN entrou em contato com deputados que vão compor a base de apoio e a oposição a partir do ano que vem.

Paulo Martins foi eleito deputado federal pelo PSC paranaense, com 118.754. Defensor e apoiador de Jair Bolslnaro, ele disse que o momento é de pacificação no país. Segundo o deputado, Bolsonaro deve ter maioria na Câmara com facilidade, mas vai ser preciso articulação.

Sobre a oposição, Paulo Martins revela não acreditar em uma atuação técnica e ética no Congresso. Segundo ele, isto está bem claro no currículo do PT.

Ênio Verri, do PT do Paraná, se elegeu com 62.169 votos. Ele disse que é impossível traçar uma linha de atuação da oposição neste momento, já que ninguém conhece as propostas de Bolsonaro.

Ênio Verri disse que se o poder de arregimentação do novo governo não estiver apurado, Bolsonaro pode enfrentar uma grande resistência, apesar de teoricamente ter a disposição uma base numerosa. Ênio Verri diz que agora momento é de preocupação com a manutenção dos direitos individuais.

Repórter Fábio Buchmann