Foto: Reprodução/Facebook

A imagem por si só já assusta os pequenos: a escultura tem cabelos negros longos, olhos arregalados, sorriso macabro e pernas de pássaro. A obra de arte foi feita por um artista japonês e tem o nome original de “Mãe Pássaro”. Só que nas últimas semanas, ela tem preocupado muitos pais. Batizada de “Momo”, a boneca supostamente está aparecendo para crianças no meio dos vídeos do YouTube Kids e ensina práticas de suicídio, homicídio e mutilação.

Mariana Gonchoroski é mãe do Kauã, de quatro anos, e disse que percebeu um comportamento diferente do filho nos últimos dias. O menino reconhece a figura da Momo.

No ano passado, a imagem já tinha viralizado na internet e era relacionada a um número de WhatsApp que envia mensagens perturbadoras para quem tenta entrar em contato.

Agora, nas reproduções de vídeos infantis, quem se apropriou da boneca estaria burlando os algoritmos contidos na plataforma, desenvolvida justamente para preservar a segurança infantil.

Mariana acredita que o filho já teve contato com a Momo.

O advogado especialista em direito digital, Rodrigo Marques, explica que além de selecionar os filtros restringindo o acesso, os pais não podem deixar as crianças sozinhas consumindo vídeos na internet.

O especialista orienta que, se o pai conseguir, de fato, provar que o conteúdo foi exibido, é possível entrar com um processo contra a plataforma que fornece o vídeo.

A Mariana já decidiu o que fazer para não deixar o Kauã ter contato com a Momo.

O YouTube emitiu uma nota dizendo que não foram encontradas evidências reais da Momo na plataforma, mas pediu para que as pessoas denunciem o conteúdo que estiver em desacordo com o YouTube Kids.

Repórter Francielly Azevedo