Foto: Reprodução

Foram mais de seis horas de depoimentos e várias mudanças de versões apresentadas pelo comerciante Edison Brittes Júnior, apontado como o responsável pela morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, de 24 anos.

Nesta quarta-feira (7), Brittes foi ouvido na Delegacia de São José dos Pinhais, pelo delegado Amadeu Trevisan, responsável pelas investigações.

Em um vídeo divulgado pela defesa do comerciante, ele afirma que ouviu a mulher gritando por socorro e arrombou a porta do quarto, quando encontrou Daniel tentando estuprar a esposa, Cristiana Brittes.

No depoimento, a versão dada é diferente. Ele disse que outra pessoa arrombou a porta do quarto e que ele entrou pela janela para proteger a esposa.

O advogado de Edison, Cláudio Dalledone, falou à imprensa na saída da delegacia. Ele comentou que o cliente omitiu algumas informações para tentar proteger os demais envolvidos no crime.

Edison ficou em silêncio em alguns momentos, em um deles, quando questionado sobre como o jogador foi morto. O advogado afirmou que ele se preservou até que todos os laudos do IML sejam anexados ao inquérito policial.

Dalledone também afirmou que os três envolvidos no crime tiveram a prisão decretada. Um dos jovens foi detido ainda na noite desta quarta-feira, em Foz do Iguaçu, no oeste do estado. Os jovens de 18, 19 e 20 anos, devem ser ouvidos ainda nesta quinta-feira (8), na delegacia, onde ficarão detidos.

Repórter William Bittar