Foto: Divulgação/Bombeiros Paraná
Terrazza Panorâmico

Em apenas três dias, 110 ocorrências de incêndio em locais de vegetação foram registradas no Paraná pelo Corpo de Bombeiros. Desde o início do mês até esta terça-feira (18), foram 352 registros.

Depois do período de chuvas intensas em todo o Paraná, o clima começa a ficar mais seco e os ventos mais fortes, o que propicia situações de incêndios ambientais.

Os meses de julho, agosto e setembro são os que concentram o maior número de ocorrências, segundo a corporação, o que aumenta a preocupação com o período.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, há risco de incêndios ambientais em aproximadamente 60% de todo o território paranaense. O nível é considerado crítico e, por este motivo, é preciso orientar a população sobre os cuidados necessários nesta situação.

A capitã do Corpo de Bombeiros do Paraná, Rafaela Diotalevi, explica que, muitas vezes, os incêndios são causados por ações humanas, mesmo que não seja intencional ou criminoso.

Segundo o relatório estatístico de incêndio do Corpo de Bombeiros, desde o início do ano, 2.931 incêndios ambientais foram registrados no Paraná. O Corpo de Bombeiros ressalta que eles também podem ser causados por fatos da natureza, como incidência de raios e combustão espontânea.

A capitã fala sobre a possibilidade de a própria população auxiliar no combate aos incêndios, quando eles ainda estão em um estágio inicial.

De 2015 até agora, mais de 72.500 ocorrências de incêndio foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros no Paraná. A mais recente, com grandes proporções, aconteceu no último final de semana, quando o fogo no morro do Capivari Mirim consumiu aproximadamente 5 mil metros quadrados de mata nativa.

Repórter William Bittar