Foto: AEN
Terrazza Panorâmico

Maiores importadores de milho e um dos principais compradores de soja e carne bovina do Brasil, os iranianos têm pelo menos 3 navios em dificuldades para a viagem de volta ao continente asiático.

Desde o começo de junho, as embarcações, que vieram com uréia e voltariam com milho, estão paradas ao largo do porto de Paranaguá, no litoral paranaense, sem poder comprar combustível, por causa das sanções norte-americanas.

A Petrobras recusa a venda porque teme represálias dos Estados Unidos. O caso, inédito no País, põe em risco as exportações do agronegócio brasileiro ao Irã. A notícia surpreendeu a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais.

Em nota, nesta quinta-feira, a Petrobras informou que os navios sancionados pelos Estados Unidos, por conta do programa nuclear iraniano, não vão receber o combustível solicitado porque há a possibilidade de a petroleira ser punida pelo governo norte-americano.

O Itamaraty tem conhecimento da situação. Uma ação judicial sobre este assunto corre em segredo de Justiça. 

Repórter Marcelo Ricetti