Foto: EBC

A empresa Infosolo, que concentra 90% dos financiamentos de veículos no Paraná, negou qualquer irregularidade no processo de credenciamento para a prestação do serviço de registro de contratos de financiamento de veículos no estado.

A empresa cobra o teto da taxa previsto no edital que é de R$ 350. Deste valor, apenas R$ 87,50 vão para o Detran. Na última semana, a 5ª Inspetoria de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) concluiu que houve irregularidades na condução do edital de 2018 do Detran.

Na visão dos auditores, o processo de credenciamento apresentou diversos indícios de direcionamento. Um deles é o fato de a Infosolo apresentar toda a documentação exigida no dia seguinte à abertura do edital.

O diretor jurídico da Infosolo, Ricardo Barreto, disse à reportagem da Rádio CBN Curitiba que a análise é descabida.

Outro ponto apontado pelos auditores do TCE, é que enquanto toda a documentação da Infosolo foi analisada e aprovada em 16 dias, as outras sete empresas que buscaram o credenciamento esperaram mais de 50 dias para a primeira análise da documentação.

A auditoria do TCE também destaca que os funcionários comissionados do Detran foram contratados dias antes da constituição da comissão de credenciamento. O presidente da Comissão, Emerson Gomes, já havia atuado como procurador de uma outra empresa em diversos processos licitatórios. A empresa teve como sócios, na época, dois acionistas da Infosolo.

A empresa nega a relação dos acionistas com qualquer integrante da comissão.

A CBN Curitiba entrou em contato com o Detran Paraná, mas não obteve retorno. O senhor Emerson Gomes não foi encontrado pela reportagem.

Repórter Francielly Azevedo