Foto: Pixabay
Terrazza Panorâmico

Um estudo divulgado pelo Movimento Todos pela Educação, em agosto deste ano, revela que o Ensino à Distância (EaD) se tornou o meio mais utilizado para a formação de novos docentes, incluindo cursos de pedagogia e das outras licenciaturas como artes, geografia e até educação física.

Em 2017, quase dois terços dos novos universitários nos cursos de formação de professores se matricularam na modalidade EaD.

Essa nova metodologia de ensino e, porque não, essa nova profissão, atinge muitas outras áreas. Cada vez mais, os professores saem da frente de dezenas de alunos para ficar em frente a uma câmera, gravando e se comunicando com os alunos que estão do outro lado.

A coordenadora do Núcleo de Inovação Acadêmica da Cruzeiro do Sul Virtual, Regina Tavares de Menezes, explica que esse novo meio de ensino transforma o professor e o insere em um novo mercado.

Estima-se que, no Brasil, são mais de dois milhões de estudantes na modalidade EaD. Para Regina, isso faz com que o professor acabe precisando utilizar ferramentas novas que possibilitem um ensino de qualidade para os alunos.

Para a professora, o mercado do ensino à distância deve crescer ainda mais nos próximos anos, muito pela falta de tempo dos próprios estudantes que já podem optar por estudar em qualquer horário do dia ou da noite, além de custos de transporte, alimentação, entre outros, que também acabam onerando os estudos.

Repórter William Bittar