Foto: Ricardo Almeida / ANPr

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), assinou nesta quarta-feira (18) um acordo junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), para garantir o pagamento do piso salarial para 33 mil professores que foram contratados entre dezembro de 1988 e dezembro de 1992, pelo regime CLT. Em valores atualizados, a dívida com os professores chega a R$ 550 milhões, segundo o governo.

O caso estava na Justiça há várias décadas. O sindicato que representa os professores pedia que o governo equiparasse os pisos salariais dos professores CLT com os que eram efetivos. Na época, o piso salarial dos professores era equivalente a três salários mínimos.

A previsão é que a dívida seja quitada ainda nesta gestão, aos professores que aderirem ao acordo. O Governador Beto Richa afirmou que este é o maior acordo judicial, em termos de valores e pessoas beneficiadas, já feito no Paraná.

Para ter direito ao dinheiro é preciso aderir individualmente ao acordo, ou seja, cada professor precisa assinar um termo, aceitando a forma de pagamento.

Conforme o sindicato, quem assinar o acordo vai abrir mão de 40% do valor que teria a receber, caso aguardasse por uma decisão final da Justiça. Os valores variam a cada caso. Segundo o procurador do Estado, Carlos Eduardo Rangel, o Estado terá uma economia no pagamento dos débitos.

A secretária de Estado da Educação, Professora Ana Seres, afirmou que todos saem ganhando com o resultado da ação judicial, que só foi possível por conta do ajuste fiscal realizado no Estado.

Quem quiser saber se tem direito ao benefício precisa entrar em contato com o sindicato, pelo telefone (41) 3026-9822. A expectativa é de que os pagamentos comecem a cair na conta a partir de outubro de 2018.

Repórter Lucian Pichetti

Deixe uma mensagem