Terrazza Panorâmico

No Brasil, estima-se que 40 mil pessoas sofram com esclerose múltipla, de acordo com o último levantamento da Organização Mundial da Saúde. Ela é uma doença inflamatória crônica, autoimune, que afeta o cérebro, nervos ópticos e a medula espinhal.

O sistema imunológico confunde células saudáveis com “intrusas” e as ataca provocando lesões.

A esclerose múltipla afeta pessoas jovens, entre os 20 e 30 anos, e provoca dificuldades motoras e sensitivas. Ela acomete mais as mulheres e pessoas de pele branca.

De acordo com o médico neurologista, Henry Koit Sato, se a pessoa não procurar um especialista pode ter sérias consequências.

Os sintomas incluem visão turva ou dupla, formigamentos, perda de força, falta de equilíbrio, espasmos musculares, dores crônicas, depressão e dificuldades cognitivas.

A esclerose múltipla não tem cura, mas os tratamentos podem ajudar a amenizar os sintomas e reduzir a progressão da doença.