Foto: Lucian Pichetti

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, do PMN, terá que trocar de partido em 2019. Isso se o político quiser a reeleição.

O motivo? É que o Partido da Mobilização Nacional foi enquadrado na cláusula de barreira e vai ficar sem tempo de propaganda gratuita no rádio e na TV e sem verba do fundo partidário.

A cláusula de barreira tem como objetivo reduzir os partidos com pouca representação na Câmara.

Em entrevista à CBN Curitiba nesta quinta-feira (6), o prefeito afirmou que vai deixar a sigla e não demonstrou preocupação com a mudança.

Ao ser questionado sobre uma nova sigla, o prefeito disse que ainda não definiu o partido.

A partir de 2019, 14 dos 35 partidos com registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverão ser enquadrados na cláusula de barreira e ficar sem tempo de propaganda gratuita no rádio e na TV nem verba do fundo partidário. São eles:

Rede Sustentabilidade

Patriota

Partido Humanista da Solidariedade (PHS)

Democracia Cristã (DC)

Partido Comunista do Brasil (PCdoB)

Partido Comunista Brasileiro (PCB)

Partido da Causa Operária (PCO)

Partido da Mulher Brasileira (PMB)

Partido da Mobilização Nacional (PMN)

Partido Pátria Livre (PPL)

Partido Republicano Progressista (PRP)

Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB)

Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU)

Partido Trabalhista Cristão (PTC)

Repórter Lucian Pichetti