Foto: Reprodução
Terrazza Panorâmico

Uma ex-funcionária da Escola de Educação Infantil Cimdy, no bairro Água Verde, em Curitiba, relatou, à CBN Curitiba, momentos de terror vividos por ela e principalmente pelos alunos da instituição.

A mulher trabalhou na escola em 1999, durante oito meses.

Ela conta que já nos primeiros dias percebeu atitude estranha da diretora e proprietária Jussara Pazim, de 64 anos.

A funcionária relata que as torturas reveladas pela investigação do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria) já ocorriam há 20 anos.

A funcionária conta que deixou a instituição após defender um aluno que era maltratado e ser ameaçada pela diretora.

A época a funcionária tinha 23 anos e relata que o período foi o pior de sua vida.

Em 2011 a diretora já havia sido denunciada por uma mãe. A funcionária conta que se prontificou a prestar depoimento contra Jussara e que foi ameaçada por telefone.

A funcionária foi uma das 54 pessoas ouvidas pelo Nucria, que indiciou a diretora pelo crime de tortura-castigo contra alunos da escola. Em nota a instituição alega que “a denúncia não define a conduta e a atuação da escola, a qualidade de seu histórico, nem a credibilidade de toda a equipe de profissionais que nela ou com ela trabalham”.

Repórter Lucian Pichetti