Foto: Reprodução/Redes Sociais

O juiz substituto da 2ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, Siderlei Ostrufka, determinou a inclusão dos nomes da ex-miss Pinhais Karina Cristina dos Reis e do policial militar Janerson Gregório da Silva, na lista vermelha de procurados da Interpol e no sistema da Polícia Federal que impede a saída deles do país.

Na decisão, o juiz afirma que o Estado é que deve arcar com os custos para a extradição dos dois, caso eles sejam presos no exterior.

A modelo e o policial militar são namorados e acusados do sequestro de um empresário de Curitiba, na noite de 29 de agosto do ano passado. Karina Reis é acusada de ser a mentora do crime, pois trabalhava com a vítima e teria passado todos os detalhes ao namorado e a mais um suspeito, que está preso.

O empresário foi encontrado horas após o desaparecimento, no porta-malas de um carro, na frente da casa de Janerson, no bairro Jardim Botânico, em Curitiba.

O soldado fugiu do BPGd no dia 4 de junho, horas depois que a ex-miss rompeu a tornozeleira eletrônica.

Apesar de o magistrado determinar a inserção na lista, não bloqueou a conta-salário do policial militar, onde ele recebe os rendimentos da Corporação.

A PM havia pedido o bloqueio dos recursos logo após a fuga de Janerson do Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd), em Piraquara, mas nenhuma medida foi tomada, pois, segundo o processo, isso extrapolaria a jurisdição do Juízo por ser uma providência “alheia à normatividade legal e processual penal”.

Fuga do BPGd

Na decisão, o juiz ainda pede esclarecimentos do comandante do Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd) sobre a fuga do policial militar.

Este não foi o único caso de fuga de policiais militares presos do Batalhão. No dia 9 de junho, o soldado Rafael Antônio da Rocha Pinto empreendeu fuga durante a madrugada.

A Polícia Militar abriu dois procedimentos para investigar as fugas e se houve facilitação por outras autoridades policiais.

Reportagem de William Bittar

Deixe seu comentário