Foto: Chico Camargo/CMC

Seis ex-funcionários do gabinete da vereadora Kátia Dittrich, do Solidariedade, protocolaram formalmente uma denúncia, juntamente com uma série de documentos. Para eles, todo o material comprova uma prática irregular adotada pela vereadora: a de ficar com parte dos salários dos servidores de gabinete.

Conforme o documento protocolado, a vereadora e o marido dela passaram a exigir dos assessores uma contribuição monetária, de forma compulsória. Os ex-funcionários afirmaram que isto ocorria mediante ameaças de exoneração, em caso de negativa.

A denúncia ainda aponta que a devolução de dinheiro variava de acordo com os salários de cada um dos assessores. Os funcionários deveriam repassar os valores assim que os salários fossem depositados. Os ex-servidores que fizeram a denúncia ainda apresentaram na Câmara comprovantes de transferências bancárias para a vereadora.

O presidente da Casa, vereador Serginho do Posto, contou que, a partir de agora, a denúncia passa a ser apurada dentro da Câmara.

Serginho do Posto explicou quais são os prazos para o trâmite da denúncia.

Ainda de acordo com o presidente da Câmara, o caso deve ser apurado com bastante responsabilidade.

A vereadora Kátia Dittrich foi procurada, por meio de sua assessoria de imprensa, para se posicionar sobre a denúncia. A parlamentar não quis gravar entrevista e divulgou uma nota, na qual cita que ainda não foi notificada. Diante disto, ela não vai fazer nenhum pronunciamento até que tenha total conhecimento das denúncias.

A nota ainda traz que a vereadora está certa da inexistência de quaisquer irregularidades. A parlamentar ainda afirma que acredita que eventuais denúncias sequer serão acatadas pela Câmara.

Repórter Joyce Carvalho

Deixe seu comentário