Ilustração: CBF.
Terrazza Panorâmico

Depois do empate com o Flamengo, por 1 a 1, quarta-feira (10), na Arena da Baixada, pela Copa do Brasil, o Athletico não escondeu a revolta com a arbitragem de Anderson Daronco, da Federação Gaúcha de Futebol. Não houve queixa quanto aos três gols anulados por impedimento. A reclamação maior envolveu uma sequência que ocorreu aos onze minutos do segundo tempo, quando o time paranaense ganhava a partida. Para os atleticanos, Daronco errou ao marcar falta para o Flamengo (choque do atacante atleticano Marco Ruben com o zagueiro flamenguista Rodrigo Caio) e não pênalti para o Athletico (o atacante Marcelo Cirino caiu após toque do lateral-esquerdo Renê). O lamento foi sintetizado pelo técnico Tiago Nunes:

Ainda no primeiro tempo, aos dez minutos o goleiro Diego Alves, da equipe carioca, fez uma defesa com as mãos na meia-lua. Ou seja, fora da área. O lance foi ignorado pela arbitragem, mas Diego Alves deveria ter sido expulso.

O comentarista Carneiro Neto, da CBN Curitiba, também criticou a atuação do árbitro gaúcho, cuja consulta ao VAR durou sete minutos:

Athletico e Flamengo vão se encontrar novamente na próxima quarta-feira (17), às 21h30, no Maracanã. O vencedor, seja no tempo normal ou nos pênaltis, se classifica para a fase semifinal da Copa do Brasil.