O secretário da Fazenda Renê de Oliveira Garcia Junior, detalha em entrevista coletiva a situação das contas do Estado, do novo SIAF, Sistema de Gestão Financeira do Governo e as medidas que vem adotando. - Curitiba, 10-01-19. Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

Servidores da Controladoria Geral e da Procuradoria Geral do Estado foram designados para fazer uma auditoria externa nos processos de pagamento do Secretaria da Fazenda. Dentre os objetivos da ação está identificar falhas do Sistema Integrado de gestão das Finanças Públicas paranaenses. A avaliação do software é tratada como prioridade pela administração, ainda assim não há prazo definido para que o novo governo tenha em mãos o panorama geral sobre o cenário contábil do estado.

Passados dez dias da posse, a gestão Ratinho Jr anunciou o trabalho que deve aprofundar as avaliações sobre a ferramenta, criada em janeiro de 2018 e, que nessa troca de governo, é apontada como obstáculo à consolidação da nova gestão. Na avaliação do secretário de Estado da Fazenda, Renê de Oliveira Garcia Junior, o Siaf é um programa importante de modernização da secretaria, mas que ainda tem problemas e foi chamado de precário. O secretário afirma que essas falhas não ficaram claras durante a transição.

Para contornar as deficiências, o secretário destacou a necessidade de se estabelecer procedimentos e fluxos de trabalho mais claros dentro da pasta

O secretário de Ratinho Jr fez ainda alguns apontamentos possíveis sobre as condições atuais do estado.

A equipe que vai atuar na auditoria a ser realizadas nos processos de pagamento do estado (incluídos ou não no Siaf) tem atuação nas áreas de gestão pública, transparência e tecnologia da informação. A partir da auditoria, a secretaria pretende estender as iniciativas, no sentido de fazer a certificação dos procedimentos realizados pela pasta.

Repórter Cristina Seciuk