Foto: Arquivo ANPr
Terrazza Panorâmico

Em uma semana foram confirmados sete casos de macacos encontrados mortos, com o vírus da febre amarela no Paraná. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde na última quarta-feira (19), os casos de epizootias passaram de 42 na semana passada, para 49 nesta semana. Os novos registros foram em Tibagi, Campo Largo, Carambeí, Piraí do Sul e Ponta Grossa.

O número de casos em humanos permaneceu o mesmo na última semana, com 17 ocorrências e uma morte. Outros 76 ainda estão em investigação. A forma mais eficaz de prevenir a doença é a vacina, que está disponível em todo o estado e pode ser tomada por pessoas de 9 meses até 60 anos incompletos. A enfermeira Vera Rita da Maia, da Divisão de Imunização da Secretaria da Saúde, alerta para a necessidade de manter a vacinação em dia.

A Secretaria de Estado da Saúde reforça que há risco da febre amarela voltar a crescer em todo o estado, e por isso alerta que a vacina deve ser tomada principalmente por moradores do litoral, da Região Metropolitana de Curitiba e dos Campos Gerais.

Os sintomas iniciais da febre amarela são febre alta de início súbito, associada a dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dor no corpo e dor abdominal. A doença pode evoluir rapidamente para formas graves com icterícia e sangramentos no sistema digestivo. A orientação é procurar atendimento médico assim que os primeiros sintomas aparecerem.