Terrazza Panorâmico

A Justiça deferiu liminar em ação civil pública por ato de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público do Paraná, através da Promotoria de Justiça de Campo Largo, contra o ex-prefeito da cidade na gestão 2013-2016, o filho dele e mais cinco réus.

Ficou estabelecida a indisponibilidade de bens dos citados em R$ 22.312.500,00. A indisponibilidade de valores refere-se ao filho do ex-prefeito e dos outros réus, já que os bens do ex-prefeito já estão bloqueados.

O caso trata de ilegalidades em licitações, realizadas a partir do ano de 2014 pelo Município de Campo Largo, para fornecimento de mão de obra médica. As contratações foram direcionadas para beneficiarem aliado político da família do ex-prefeito.

De acordo com o exposto pelo Ministério Público na ação, os agentes públicos envolvidos no caso direcionaram a contratação de empresa para prestação de serviço médico, que por fim, por terem ligações de parentesco com o prefeito e demais citados favoreceram o enriquecimento ilícito dos mesmos a partir de valores do erário de Campo Largo na ordem de aproximadamente R$ 12 milhões.

A liminar foi deferida pela 2ª Vara da Fazenda Pública de Campo Largo. Caso os réus sejam condenados por ato de improbidade, podem receber sanções como a suspensão dos direitos políticos, proibição de contratar com o Poder Público, devolução dos valores recebidos indevidamente e multa.

Repórter Vanessa Fernandes