Terrazza Panorâmico
Foto: Chico Camargo/CMC
Foto: Chico Camargo/CMC

No dia em que a tarifa do transporte coletivo subiu para R$ 4,25, vereadores de Curitiba usaram a tribuna da Câmara abordar o tema.

Foram diversos vereadores que se manifestaram sobre o assunto.  Rogério Campos, do PSC, criticou a existência da URBS, empresa de economia mista responsável por gerir o transporte público em Curitiba.

Tico Kuzma, do Pros, disse que a população foi surpreendida com o reajuste, mas espera que os valores sejam recalculados depois que o governo do estado voltar a subsidiar o transporte

Já o relator da CPI do Transporte instalada na Casa em 2013, Bruno Pessuti, do PSD, disse estar “otimista” com a nova gestão municipal. Mas foi outro que pediu a extinção da URBS, o que segundo ele, deixaria a tarifa de ônibus mais barata.

Bruno Pessuti defendeu também mudanças no cálculo da remuneração das empresas que atuam no setor.

O Vereador Jorge Brand, o Goura, do PDT, usou a tribuna para questionar o repasse da diferença na tarifa, de 55 centavos, para o Fundo de Urbanização. O dinheiro, deve ser usado para a renovação da frota, segundo a prefeitura

Professora Josete, do PT, também questionou a fórmula de cálculo das tarifas. Segundo ela, o Imposto de Renda das empresas é pago pelos usuários, o que encarece o valor da passagem

Lembrando que os vereadores voltaram do recesso nesta segunda-feira (6).

Deixe uma mensagem