Fiscalização interdita seis estabelecimentos em Curitiba

Fiscalização interdita seis estabelecimentos em Curitiba
Foto: Prefeitura de Curitiba

Fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo interditaram seis estabelecimentos comerciais em Curitiba desde a última quinta-feira (19) até este domingo (22): dois bares com entretenimento (um no bairro Alto da XV, outro no Pinheirinho), uma tabacaria no Pinheirinho, duas casas de eventos (Butiatuvinha e Augusta) e uma casa noturna no Capão Raso.

Outros 16 receberam notificações por conta de comércio irregular e ou falta de adequação à resolução, que determina ações sanitárias obrigatórias aos estabelecimentos em atividade neste momento de pandemia. Foram notificados bares, casas de eventos, casa noturna, pizzaria, lanchonete nos bairros Pinheirinho, Capão Raso, Augusta, Butiatuvinha, CIC, Boqueirão, Jardim das Américas, Sítio Cercado e Campo Comprido.

A fiscalização faz parte da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) da Prefeitura de Curitiba, desenvolvidas em parceria com o Governo do Estado, com a participação do Corpo de Bombeiros.

De acordo com Jussara Policeno, diretora do departamento de fiscalização da Secretaria Municipal do Urbanismo, ao todo foram vistoriados 24 estabelecimentos comerciais em 17 bairros da cidade.

Jussara reforça que os donos de estabelecimentos comerciais que não cumprirem as determinações podem até ter o alvará de funcionamento cassado.

As ações de fiscalização pelas equipes do município têm acontecido desde o 17 de abril. Desde então 1.511 estabelecimentos já foram vistoriados, a grande maioria das fiscalizações foram motivadas por denúncias apresentadas pela população por meio do 156.

Neste período as equipes precisaram interditar 357 estabelecimentos que praticavam atividades em desacordo com os decretos vigentes no momento das fiscalizações e autuar 150 estabelecimentos. A falta de adequação à resolução que determina ações sanitárias obrigatórias aos estabelecimentos em atividade neste momento de pandemia, resultou em 603 notificações e 39 embargos. Também foram aplicadas 354 notificações por irregularidades comerciais.

Repórter Grasiani Jacomini