Fundo compra Copel Telecom em leilão por R$ 2,39 bilhões

Fundo compra Copel Telecom em leilão por R$ 2,39 bilhões
Foto: AEN

O Fundo Bordeaux, representado pela corretora Planner, arrematou a Copel Telecom por R$ 2,39 bilhões no leilão de privatização, realizado nesta segunda-feira (9) na sede da B3, em São Paulo.

A empresa foi vendida com ágio de 70,94%, superando em quase R$ 1 bilhão o preço mínimo estipulado, que era de R$ 1,4 bilhão por 100% das ações. O recurso arrecadado retornará ao caixa da Copel, e deve ser utilizado em investimentos da estatal na distribuição, transmissão e geração sustentável de energia.

Para o governador Ratinho Junior, o resultado é reflexo da solidez da companhia e do processo de transparência da privatização, a primeira em 20 anos no Estado.

A Copel Telecom possui 100% da tecnologia em fibra ótica, está presente nos 399 municípios do Estado, com 36 mil quilômetros de cabos de internet de alta velocidade a 170 mil clientes.

Com a desestatização, a empresa ganha o benefício de concorrer com regras de mercado, o que significa mais agilidade e possibilidade de ofertar novos serviços para o cliente. Os contratos atuais da subsidiária serão respeitados, incluindo todos os contratos com o Governo do Estado, que foram oficializados em concorrência pública.

De acordo com o diretor-geral da Copel Telecom, Wendell Oliveira, o processo de venda deve ser finalizado até meados do ano que vem, depois de ser analisado por instituições como a Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, e o Cade, Conselho Administrativo de Defesa Econômica.//

Com o desinvestimento no setor de telecomunicações, a Copel passará a concentrar esforços nas áreas de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica. Em agosto, a estatal já tinha se desfeito da participação na Sercomtel, empresa de telecomunicações que opera em Londrina, no Norte do Estado, que também foi arrematada pelo Fundo Bordeaux.

O próximo passo deve ser o desinvestimento na Compagás, onde a Copel detém 51% dos ativos. O presidente da companhia Daniel Slaviero, explica que a ideia é focar em projetos que garantam a segurança e a eficiência energética.

O principal projeto da companhia na área é o Paraná Trifásico. Serão 25 mil quilômetros até 2025, em um investimento total superior a R$ 2 bilhões. Em janeiro, a Copel começa a implantar o programa Rede Elétrica Inteligente, que vai tornar o sistema da companhia o mais moderno e seguro do país.

Repórter Vanessa Fernandes