Foto: Arnaldo Alves/ANPr

Mais uma pessoa foi presa suspeita de aplicar o golpe do “falso aluguel” nas praias do Paraná. Segundo a Polícia Civil, a estelionatária teria prejudicado dezenas de pessoas e lucrado no mínimo R$ 400 mil. A atuação da criminosa passou a ser investigada em dezembro, no início da temporada, quando veranistas começaram a dar queixa dos golpes. De acordo com o delegado Guilherme Luiz Dias, a estelionatária agia sozinha, em Guaratuba, e se utilizava de imóveis de terceiros para enganar as vítimas.

São cerca de vinte a trinta as vítimas já identificadas, com prejuízo apurado de aproximadamente R$ 400 mil.

O delegado Guilherme Luiz Dias avalia que o modo de ação dessa suspeita, presa na terça-feira (12), era bastante elaborado, o que acabava por aumentar as chances de enganar interessados. Nesse sentido, reforça a necessidade de que se redobrem os cuidados para evitar problemas.

A estelionatária foi localizada e presa em Santa Catarina, para onde fugiu na semana passada após a prisão de outros dois suspeitos de aplicar golpes similares na cidade de Matinhos, também no litoral paranaense. Apesar de ser a terceira por causa de crime similar, não haveria uma quadrilha na região, mas a presença de diversos criminosos atuando separadamente para o cometimento do mesmo ilícito.

Segundo o representante do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Paraná no litoral, Valdemar Salvador Marques, o dia a dia de trabalho demonstra que os casos de fraude não são raros.

De acordo com a polícia, ainda pode haver vítimas dos esquemas recentemente desbaratados, uma vez que o período de movimento mais aquecido em 2019 no litoral deve se estender até o Carnaval, no início de março.

Repórter Cristina Seciuk