Foto: Daniel Castellano/SMCS

O presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, garantiu ao sindicato dos trabalhadores do transporte que não haverá demissões motivadas pela adoção da bilhetagem eletrônica em 100% dos ônibus e pontos de embarque da cidade. A promessa foi feita em reunião com representantes do Sindimoc, após reação da categoria ao projeto de lei em tramitação na Câmara, que acabou apelidado de Lei do Desemprego pelos cobradores.

De acordo com a Urbs, a ampliação do uso dos validadores eletrônicos será feita em etapas, conforme a saída natural de trabalhadores. Em entrevista à CBN Curitiba, Maia Neto informou que cerca de 25% dos funcionários deixam os quadros das empresas a cada ano, seja por aposentadorias ou por pedidos de demissão e esses momentos serão aproveitados para a implantação gradativa, sem a necessidade de desligamentos em função da adoção do pagamento automático exclusivo.

Ainda segundo o presidente da Urbs, 2/3 dos pagamentos nas catracas já são feitos por meio do cartão de usuário.

Apesar da argumentação, a categoria não está convencida. Segundo a assessoria de imprensa do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região a cobrança ainda pela retirada da proposta, ou os esforços serão pela derrubada da mesma em plenário.

O projeto está em análise na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e pode entrar na pauta do colegiado já na próxima sessão, marcada para a terça-feira (27). A matéria também vai passar pelas comissões de economia e serviço público caso não seja aprovado regime de urgência. O pedido para tramitação acelerada foi protocolado pelo vereador Rogério Campos (PSC), ligado à categoria; na avaliação do parlamentar, haveria votos suficientes para rejeitar a proposta. O requerimento começou a ser discutido nesta semana, mas teve o debate adiado a pedido do autor por causa de críticas relacionadas à proximidade com a eleição do Sindicato dos Motoristas e Cobradores, que ocorre no dia 29. O pedido de urgência deve voltar à pauta do plenário na primeira semana de dezembro.

Repórter Cristina Seciuk