Foto: Divulgação/PMPR

Um homem de 29 anos confessou ter matado com golpes de barra de ferro a ex-esposa, de 22 anos, em São Mateus do Sul, na região sul do Paraná.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a mulher foi morta em 5 de maio, enquanto conversava com amigos.

O homem diz que a derrubou, bateu com a barra três vezes na cabeça da mulher, depois, ainda passou com o carro duas vezes por cima da vítima.

Segundo a PM, ele confessou à polícia que foi até a casa da ex-esposa com a intenção de matá-la. No depoimento, o homem disse ter matado porque “estava com raiva” dela.

De acordo com a PM, o suspeito estava dentro de um carro vigiando a casa da vítima, quando ela saiu e pediu para que ele fosse embora.

O homem desceu do carro e deu um golpe com a barra de ferro na ex-esposa, que caiu no chão. Segundo a PM, ele deu mais dois golpes com a barra na cabeça dela, com a vítima já caída.

O suspeito entrou no carro e ainda passou com o veículo duas vezes por cima da mulher desacordada.

Pessoas que passaram pela rua logo depois do crime chamaram o Corpo de Bombeiros, que realizou o atendimento. A mulher foi levada com vida ao Pronto Socorro Municipal de São Mateus do Sul, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A PM encontrou o suspeito dentro de um carro. O homem foi levado para a Delegacia de São Mateus do Sul, onde permanece preso.

A Polícia Civil informou que os dois foram casados por cerca de sete anos e se separaram em setembro de 2018. Segundo a polícia, a mulher tinha medidas protetivas em aberto contra o suspeito.

Além da medida protetiva contra ele, ela também tinha registrado vários boletins de ocorrência na delegacia.

Em nota a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná informou que todas as medidas cabíveis foram tomadas. Neste caso específico, existem três inquéritos policiais, que foram finalizados pela Polícia Civil e encaminhados ao Poder Judiciário com prioridade, ainda no mês de março. 

Segundo o delegado responsável pelo caso, todas as informações foram anexadas no processo.

No caso de descumprimento de medidas protetivas, a Polícia pode efetuar a prisão em flagrante ou, então, solicitar a autorização da prisão para o Judiciário.

Por parte da Polícia Militar, a prisão ocorreu de forma rápida e o suspeito foi preso e encaminhado para a Delegacia da Polícia Civil no mesmo dia do ocorrido.

Repórter Vanessa Fernandes