Foto: Ayrton Baptista Junior.
Terrazza Panorâmico

A Leões da Mocidade colocou o tema da Pantera Cor-de-Rosa no carnaval de Curitiba. No desfile do grupo principal das escolas de samba da cidade, sábado (2), na avenida Marechal Deodoro, a escola do Boqueirão homenageou o maestro Waltel Branco (1929-2018), paranaense de Paranaguá que tem como trabalho mais lembrado a colaboração na famosa trilha assinada pelo norte-americano Henry Mancini para o filme lançado em 1963.

Em um dos carros alegóricos, o músico Emerson Branco, filho de Waltel, representou o homenageado. “Era para ele estar aqui. Sei que de alguma forma ele está torcendo pela Leões”, afirmou Emerson, emocionado, sobre o enredo que começou a ser elaborado na metade do ano passado, antes da morte de Waltel, que ocorreu em novembro, no Rio de Janeiro.

Além da Pantera, a Leões lembrou de um dos vários temas de novelas da Rede Globo que tiveram arranjos de Waltel Branco: Escrava Isaura, que foi ao ar em 1977. O conhecido Lerê Lerê da composição de Dorival Caymmi entrou na Marechal Deodoro com a cantora Amanda Cortes, uma das puxadores de samba da escola. O público também viu uma bandeira de Cuba, alusão aos discos de ritmos latinos produzidos por este paranguara entusiasta da canção cubana.

Entre os parceiros de Waltel, um desfilou e outro aplaudiu. Quem desfilou foi o violonista João Egashira: “Ele enriqueceu a música da sua cidade, com sua alma generosa, de passarinho. Tenho gratidão por ele, pela música que ele deixou dentro de mim”. Aplausos vieram do prefeito Rafael Greca, que teve um poema musicado pelo amigo: “Ele transformou a minha letra, O Poema do Rio Iguaçu, numa magnífica música. Waltel foi um homem grande, de grande humildade. Ele frequentou a minha chácara em Piraquara. Tocava piano magistralmente. Não sei cantar, mas o refrão do poema diz Você pode olhar diversas vezes o mesmo rio/Nunca é a mesma a água que você vê”.

(Ayrton Baptista Junior)

*****

Aqui, um trecho da Pantera, no desfile da Leões da Mocidade.