Foto: Ed Dimas Cunha

O Ibama deve utilizar sedativos para capturar o bugio que atacou um bebê de um ano e nove meses em um condomínio de Araucária, na região metropolitana. A informação foi confirmada pelo instituto, que tem trabalhado no monitoramento do animal.

O macaco, um macho adulto, permanece solto na área de mata vizinha ao residencial apesar dos esforços que vem sendo realizados nas semanas posteriores ao episódio.

Técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente, o Ibama, mantém as ações para conseguir a aproximação e avaliar qual a melhor estratégia para a captura. De acordo com Julio Gonchoroski, superintendente do órgão, chegou-se à conclusão de que o ideal será utilizar tranquilizantes de ação rápida.

De acordo com Gonchoroski, a opção será por colocar o sedativo na alimentação a ser oferecida ao bugio. Ele explicou porque a utilização de dardos, por exemplo, está totalmente descartada.

Segundo o superintendente do Ibama, não se percebe mais risco imediato para os moradores do condomínio, entretanto o macaco será retirado o quanto antes.

Após a captura o animal deve ser levado para uma avaliação em um centro de triagem antes de ser destinado para local adequado à espécie.

O macaco é monitorado por equipes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Araucária e pelo Ibama desde 14 de novembro. Naquele dia, a menina assistia tevê na sala de um apartamento quando o macaco atravessou a janela e a atacou. Após o incidente, a criança passou por cirurgia para reconstrução do couro cabeludo.

Repórter Cristina Seciuk