Foto: Deivid Souza / CBN Cascavel

O caso da mulher acusada de participar de um esquema de tráfico internacional de crianças, em Cascavel, pode estar próximo do fim. O inquérito policial está na fase final, após a Polícia Federal pedir prorrogação do prazo para finalizar as investigações.

O advogado Felipe Veloso, que faz a defesa de Maria de Conceição Queiroz, conhecida como Maria Paraguaia, afirma que a cliente deve ser novamente interrogada.

Maria Paraguaia foi presa no final de outubro, quando foi acusada de tráfico de crianças. O caso ficou conhecido após a própria acusada acionar o Conselho Tutelar dizendo que havia encontrado um menino em frente a sua casa, no bairro Cascavel Velho. Após investigações da Polícia Civil, ela foi presa porque além do menino de um ano, na casa dela havia uma menina de 9 anos, que não tinham identificação e uma adolescente de 17 anos.

Apesar das acusações, o advogado disse que Maria Paraguaia afirmou a familiares que ela não é culpada de tráfico de crianças.

Segundo a Polícia Federal e a Polícia Civil de Cascavel, Maria Paraguaia teria cobrado um valor de R$ 700 para fazer a suposta adoção do menino. Ela está presa na cadeia pública de Corbélia.

Repórter William Bittar

Deixe uma mensagem