Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal prendeu na manhã desta segunda-feira (8), dois cidadãos italianos, suspeitos de fazerem parte do “braço” da máfia italiana Ndranghetta, na América do Sul.

Eles seriam os responsáveis por fazer a ligação entre os produtores de cocaína nos países vizinhos ao Brasil e envio da droga para o solo europeu.

Os presos são pai e filho e eram considerados foragidos desde 2014 pela polícia italiana e integravam a lista de procurados da Interpol.

Segundo a Polícia Federal, as prisões aconteceram em um apartamento de alto padrão no litoral paulista, onde também foram encontrados grande quantia de dinheiro, veículos e armas.

A Polícia Federal acredita que eles utilizavam os portos de Santos e de Paranaguá, no litoral do Paraná, para o transporte das drogas, como explica o superintendente Regional da PF, Luciano Flores de Lima.

Lima ainda revela que para fazer a lavagem do dinheiro do tráfico de drogas, os dois abriram empresas laranja, uma delas era uma construtora.

Dentro do apartamento onde os dois foram presos, foram encontradas paredes falsas que serviam de fuga, justamente em uma possível ação policial. Além disso, foram encontrados passaportes falsos e até um título de eleitor brasileiro.

Por serem tratados suspeitos de alta periculosidade, a identidade deles não foi revelada, nem o local onde ficarão detidos.

A extradição deles para a Itália deve acontecer nas próximas semanas.

Repórter William Bittar