Foto: Pixabay
Terrazza Panorâmico

Chega o quinto dia útil, os boletos aparecem e aí no fim das contas sobra um pouco do salário para gastar com outros produtos. Mas os paranaenses estão com o pé no freio quando o assunto é consumir.

De acordo com a Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias, elaborada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), os consumidores paranaenses reduziram drasticamente a pretensão de compras em junho.

O indicador caiu 8,4% na variação mensal, passando de 108,8 pontos em maio para 99,7 pontos em junho. Na comparação com o mesmo período do ano passado, a baixa foi de 4,8%. É a menor pontuação desde outubro de 2017.

De acordo com a coordenadora de pesquisas da Fecomércio, Priscila Andrade, os consumidores estão influenciados pela oscilação econômica nacional.

A pesquisa mede vários fatores como a sensação de segurança no emprego, renda e perspectiva de consumo. Todos os itens pesquisados tiveram queda.

A pesquisadora destaca que o levantamento serve para que os comerciantes mudem a estratégia de venda.

Os aspectos de maior influência para derrubar a ICF foram a Perspectiva de Consumo (-21,1%), Momento para Compra de Bens Duráveis (-13,9%) e Perspectiva Profissional (-9,5%).

Repórter Francielly Azevedo